Translate


Este Blogue é um estudo da Associação Projecto Raia Alentejana e tem como objectivo a discussão da violência em geral e da guerra na Pré-História em particular. A Arqueologia da Península Ibérica tem aqui especial relevo. Esperamos cruzar dados de diferentes campos do conhecimento com destaque para a Antropologia Social. As críticas construtivas são bem vindas neste espaço, que se espera, de conhecimento.

Guerra Primitiva\Pré-Histórica
Violência interpessoal colectiva entre duas ou mais comunidades políticas distintas, com o uso de armas tendo como objectivo causar fatalidades, por um motivo colectivo sem hipótese de compensação.


Tuesday, 12 January 2010

O feud, vingança de sangue ou Vendetta

por Luis Lobato de Faria
"The term feud is etymological derived from old hight german fehida, meaning enmity" Winthrop (1991) apud Dennen (1995, p. 81).
Segundo Otterbein (1997, p. 133-146) o feud define-se como: "…Combate armado dentro de uma comunidade política em que se vinga o homicídio de um parente matando o assassino ou algum dos seus parentes…".
No feud um assunto, que começa por ser particular ou familiar, torna-se um problema de toda uma comunidade ligada por parentesco, é caracterizado pela tentativa de conseguir vingança ou compensação pelo assassínio de um parente, por vezes é possível substituir a morte do adversário por uma compensação (Harris, 2004, p. 420-421).
Para Otterbein (1997, p. 133-146) o feud envolve combates prolongados e intermitentes, um combate isolado ou uma morte não se qualificam enquanto tal. Os combates são muito rituais e quando danos são infligidos as hostilidades param para se avaliar a situação. As comunidades envolvidas não cortam relações e continua a existir uma ponte de diálogo que permite a resolução do problema. Na maior parte dos feud as mulheres, crianças e velhos são poupados, o alvo é alguém que cometeu a ofensa. Segundo o mesmo autor noutras situações as retaliações continuam e as partes intervenientes acabam por esquecer as razões pelas quais o conflito começou.
As vendettas nas famílias italianas parecem-me um bom exemplo deste olho por olho. Os feud envolvem todos os níveis de violência interpessoal, podem ter a forma de raids e chegam mesmo batalhas campais, portanto facilmente evoluem para uma forma de guerra primitiva.
É difícil distinguir o feud na guerra primitiva, o primeiro observa mais regras e limites na violência empregue (Dennen, 1995, p. 87).
Segundo Keeley (1997, p.29): "Thus armed conflict between social unit … often is just terminologically disguised as feuding or homicide.". Para este autor conflitos com fatalidades que ocorrem entre bandos são definidos como feud, estes bandos apresentam assim elevados níveis de homicídio mas não apresentam frequências que indiquem a existência de guerra na sua sociedade, o feud aqui pode camuflar a guerra em sociedades primitivas.
Para Otterbein (2004, p. 18), os grupos fraternos têm mais frequência de feud, no estado o feud é suprimido.
O feud pode então ser visto como uma forma de justiça que substitui nas sociedades não estatais o sistema judicial das sociedades estatais (Dennen, 1995, p. 84).


Referências:
DENNEN, John Matheus Gerardus van der (1995) – The Origin of War: The Evolution of a Male Coalitional Reproductive Strategy. Groningen: Origin Press.
HARRIS, Marvin (2004) – Introducción a la Antropologia general. Madrid: Alianza Editorial. 7.ª Edición.
KEELEY, Lawrence (1997) - War before civilization: The myth of thepeaceful savage. Oxford: Oxford University Press.
OTTERBEIN, Keith F. (2004) – How war began. College Station: Texas A&M University Press.

No comments: