Translate


Este Blogue é um estudo da Associação Projecto Raia Alentejana e tem como objectivo a discussão da violência em geral e da guerra na Pré-História em particular. A Arqueologia da Península Ibérica tem aqui especial relevo. Esperamos cruzar dados de diferentes campos do conhecimento com destaque para a Antropologia Social. As críticas construtivas são bem vindas neste espaço, que se espera, de conhecimento.

Guerra Primitiva\Pré-Histórica
Violência interpessoal colectiva entre duas ou mais comunidades políticas distintas, com o uso de armas tendo como objectivo causar fatalidades, por um motivo colectivo sem hipótese de compensação.


Tuesday, 11 January 2011

Violência e Etnografia: os Maring.

Os Maring habitam os planaltos centrais da Nova Guiné, são uma sociedade formada por clãs tribais, com grande densidade populacional e com um total de 7000 indivíduos. Possuem pequenas hortas e porcos domesticados, dedicam-se também à caça e recolecção, possuem uma tecnologia ainda lítica.
Nos anos 60 foram efectuados estudos de campo pelo antropólogo Andrew Vayda que identificou quatro formas de guerra (Keegan, 1994, p. 99-100). Na primeira forma, chamado de nothing fights, os grupos adversários enfrentam-se à distância do alcance de tiro de flecha e trocam projécteis escondendo-se por detrás de escudos, estes combates podem durar vários dias e as baixas são raras. Na segunda forma, chamado de true fights, além das trocas de projécteis, os grupos aproximam-se à distância de luta corpo a corpo e lutam com machados de pedra e lanças, no entanto as baixas continuam raras apesar dos combates durarem dias. O raid é a terceira forma de guerra, aqui é efectuado um curto ataque de surpresa ao território inimigo com um número maior de baixa. A quarta e mais mortífera forma de guerra é o rout, aqui é efectuado um ataque ao acampamento inimigo em que são mortos vários elementos, incluindo mulheres e crianças.
Segundo Vayda (Keegan, 1994, p. 101-103) na forma de nohing fights a causa pode ser desde insultos a homicídio, tem como função testar as forças do adversário e tentar negociar as reparações com a ajuda de vizinhos. A forma de true fights e o raid representam o escalonamento de problemas que não foram resolvidos com o primeiro tipo de guerra, tem como função o equilíbrio de poder. O rout tem como função a aniquilação do inimigo e conquista dos seus recursos, mas esta explicação está envolta em controvérsia pois o território do inimigo nem sempre é ocupado e a densidade populacional dos Maring tem vindo a diminuir.

Nota: Keeley (1997, p. 93) considera a forma de rout dentro da forma do raid.

Bibliografia:
KEEGAN, John (1994) – A history of warfare. London: Pimlico.
KEELEY, Lawrence (1997) - War before civilization: The myth of the
peaceful savage. Oxford: Oxford University Press.

No comments: